quinta-feira, 30 de julho de 2015

Hospital Psiquiátrico São Pedro promove palestra

A Coordenação de Saúde Mental do RS, o Hospital Psiquiátrico São Pedro, a Escola de Saúde Pública. o Centro de Estudos José de Barros Falcão e a Associação Mário Tannhauser de Ensino, Pesquisa e Assistência estão promovendo a palestra " O Maniqueísmo em Nossas Vidas: A bondade dos maus, a maldade dos bons", do Dr. Jorge Salton, professor titular de psiquiatria da Universidade Federal de Passo Fundo.
A palestra acorrerá no dia 15 de agosto, sábado, às 10 horas, no Ginásio de Atividade Multiplas(gigantinho) do Hospital Psiquiátrico São Pedro. O evento e destinado aos residentes, alunos, funcionários, colaboradores e professores das entidades promotoras.

Dennis Magalhães
Assessoria de Comunicação Social
Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais
Secretaria Estadual da Saúde
Tel. 3339.2389 ramal 1319 - Cel. 84052503
Av. Bento Gonçalves, 2460 - B. Partenon

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Hospital Psiquiátrico São Pedro participa de sessão plenária do Conselho Estadual de Saúde tendo como pauta a Política de Saúde Mental do Estado

Direção e servidores do Hospital Psiquiátrico São Pedro fizeram parte do público estimado em mais de 200 pessoas que acompanharam na tarde desta quinta-feira,23, a sessão plenária do Conselho Estadual de Saúde realizada no auditório do Ministério Público Estadual. A pauta da reunião foi centrada na condução da Política de Saúde Mental do Estado com a apresentação pela coordenadora adjunta da Política de Saúde Mental da Secretaria Estadual da Saúde, Marilise de Souza, com respostas integralmente detalhadas em grande telão do auditório, a  mais de uma dezena de  questionamentos levantados na primeira plenária do ano realizada pelo  CES, em 26 de fevereiro.

O plano apresentou um avanço na assistência aos portadores de transtornos psíquicos, incluindo álcool e drogas e o incremento financeiro nos dispositivos da Rede de Atenção Psicossocial(RAPS) fundamentado nas possibilidades financeiras do Estado garantindo a execução das proposições até 2019. Dentre outros dispositivos destacam-se  os Residenciais Terapêuticos que passarão de nove para 45 SRTs até 2019. Em cinco anos, o Estado poderá contar com 220 Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS). Ainda em 2015, serão implantados cinco SRTs dando continuidade ao processo de desinstitucionalização do Hospital Psiquiátrico São Pedro. Para o final deste mês de julho será implantado o quinto Residencial (João Suplício) que receberá sete moradores relocados do Morada São Pedro que não apresenta condições estruturais para mantê-los. Os leitos hospitalares de saúde mental, tanto em hospitais gerais como especializados serão mantidos até 2019. Capacitações darão suporte para a qualificação na assistência abrangendo as equipes nos Hospitais gerais que possuem leitos de saúde mental, nos Hospitais especializados, e principalmente, para as equipes de trabalhadores da Atenção Básica.
O CONFLITO PERENE DA DESINSTITUCIONALIZAÇÃO.
Apesar da integralidade das respostas e da apresentação do plano exequível, segundo o coordenador da Política, Luiz Carlos Illafont Coronel,  a ser executado até 2019,  as representações dos grupos de luta antimaniomial não ficaram satisfeitas. Os residentes de saúde mental da Universidade Federal do Rio Grande do Sul apresentaram uma Carta Aberta repudiando as ações tomadas pelo atual governo relacionadas à Política, e principalmente as novas medidas adotadas pela direção do Hospital São Pedro na condução da desinstitucionalização dos pacientes. Ficou evidente que o conflito que circundam a saúde mental está além dos esclarecimentos da Política de saúde.
O Diretor Técnico do Hospital Psiquiátrico São Pedro, Gilberto Slud Brofman,  diante da animosidade permanente enfatizou que o HPSP não é contrário a desinstitucionalização. Na década de 70 mais de 3.700 pessoas foram desinstitucionalizadas num processo contínuo que resultou num total de 165 moradores-usuários atuais do Hospital,  sendo que destes pacientes, mais de 40% apresentam demência grave.  Na tentativa de ser  ouvido, apesar das vaias,   esclareceu que o processo de retirada dos pacientes da instituição é fundamentado em critérios técnicos, critérios esses que propôs serem apresentados em futura plenária do CES a fim de propiciar um debate técnico e menos emocional sobre  a Política e o hospital especializado que é referência em saúde mental no Estado. Os servidores do HPSP, apoiados pelo Sindicato dos Técnicos Científicos do Rio Grande do Sul (SINTERS) saíram da plenária indignados com o desrespeito e a inflexibilidade daqueles que não aceitaram os esclarecimentos técnicos. Representando os hospitais estaduais esteve presente também na plenária o diretor do Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais, Luiz Carlos Pinto.


Lia Magalhães
Assessoria de Comunicação Social
Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais
Secretaria Estadual da Saúde
Tel. 3339.2389 ramal 1319 - Cel. 84052503
Av. Bento Gonçalves, 2460 - B. Partenon


segunda-feira, 20 de julho de 2015

Hospital Psiquiátrico São Pedro participa do I Encontro de Educação para o Patrimônio

Com apresentação do pôster “Hospital Psiquiátrico São Pedro: A luz como grafia”, o Serviço de Memória Cultural do HPSP participou, nos dias 17 e 18 de julho, do I Encontro de Educação para Patrimônio promovido pelo Centro Histórico-Cultural Santa Casa. O pôster expõe o projeto que está sendo desenvolvido de forma voluntária, desde março de 2015, pelo historiador João Carlos Salgado de Los Santos, de restauração, catalogação e digitalização do acervo fotográfico sob a orientação da coordenadora do SMC do Hospital, Neuza Maria de Oliveira Barcelos.
O trabalho tem como objetivo preservar e divulgar as imagens da instituição centenária observando suas mudanças e as formas de utilização destas imagens. O projeto propõe ainda, fornecer subsídios para a reflexão sobre as transformações nos tratamentos da saúde mental, sobre arquitetura das instituições de saúde, entre outros temas. Dentre os questionamentos suscitados pela pesquisa, dois se destacam: O que as imagens trazem de informações novas para repensarmos o passado? As transformações estéticas do seu conjunto e da sociedade, o que têm em comum? 


Lia Magalhães
Assessoria de Comunicação Social
Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais
Secretaria Estadual da Saúde
Tel. 3339.2389 ramal 1319 - Cel. 84052503
Av. Bento Gonçalves, 2460 - B. Partenon

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Trabalhos dos usuários da Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro expostos no Arquivo Público do RS

O Arquivo Público do RS, em parceria com a Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro, promove a exposição Mundos de dentro, mundos de fora.
Nesta segunda-feira, 13 de julho, estreou, na sala Professor Joél Abílio Pinto dos Santos, no APERS, a exposição Mundos de dentro, mundos de fora, que dialoga com o filme O Ilusionista, de Jos Stelling, visto que ambos permeiam as relações entre o mundo exterior e o mundo interior que habita em cada um.




Até o dia 14 de agosto estarão disponíveis, para apreciação, “os trabalhos artísticos de Carlos Giovane de Oliveira, Jacqueline Krueger e Teresa Noeci Brito da Silva, frequentadores da Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro, que, utilizando-se de diferentes linguagens artísticas, tramaram um fazer que é comum a nós humanos – o transitar entre o dentro e o fora. Como efeito desta faina, surgem obras que revelam com extrema sutileza marcas particulares.
Para dar forma a seus desenhos, Jacqueline utiliza canetas em espessuras diversas. Em muitas vezes ela é evidente na figuração e quase se enxergam as árvores, as florestas, uns e outros animais. Em outros momentos, ela deixa ao expectador a possibilidade de presumir, através do sentido e força do tracejar, quer na fragmentação e no adensamento das linhas ou nos espaços vazios ou saturados. O olhar alheio pode, então, fazer infinitos caminhos, diferentes leituras, criar outras tantas histórias.
NoeciTeresa Noeci se alegra em contar detalhadamente seu processo artístico, que inicia ao imaginar o vestido das meninas e segue no risco do lápis sobre o tecido. Em seguida, agulha e linha fazem aparecer o contorno do bordado. Não menos importante é, para ela, a escolha cuidadosa das cores de tecidos e linhas e do par de sapatos, tudo em combinação com a cor da pele, negra ou branca. É quando comenta Teresa, nem bem termino uma das meninas e a próxima já aparece na minha imaginação”.
Barbara E. Neubarth (coordenadora da Oficina).
Equipe da Oficina de Criatividade (2015): Aline Dallagnese, Clara Grassi, Daniela Gaviraghi, Giselle Sanches, Itapa Rodrigues, Maria Aparecida Osório, Neusa Helena Carvalho Viapiana, Samanta Andreolli e Vanessa Manzke.

Amanhã, 16 de julho, às 17h30min, os integrantes desta Oficina estarão no APERS para apresentarem seus trabalhos.
Venha prestigiar!


Dennis Magalhães
Assessoria de Comunicação Social
Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais
Secretaria Estadual da Saúde
Tel. 3339.2389 ramal 1319 - Cel. 84052503
Av. Bento Gonçalves, 2460 - B. Partenon