HSP

Hospital Sanatório Partenon

Av Bento Gonçalves, 3722 - B. Partenon
Telefone: (51) 39011400(pabx) (51)39011306 e (51)39011394(direto)
e-mail: hspartenon@saude.rs.gov.br


Diretor Administrativo: Paulo Gilberto Pohlmann de Souza

Diretora  Técnica: Carla Adriane Jarckzewski


História 

O Hospital Sanatório Partenon, primeiro hospital público do Rio Grande do Sul destinado ao atendimento de tuberculosos, foi inaugurado em 27 de janeiro de 1951.

O HSP foi construído dentro da proposta da antiga Campanha Nacional Contra a Tuberculose - CNTC, cujo objetivo principal era o isolamento dos doentes em hospitais (sanatórios), onde seriam tratados com tuberculostáticos, medicamentos específicos para o tratamento da tuberculose, criados na década de 1940, e mantidos longe do convívio social e familiar, visando com isso diminuir a disseminação da doença.

Em razão do tratamento prolongado, à época, os doentes ficavam longos períodos internados, chegando a vários anos de hospitalização.
A partir da década de 1970, com a maior resolutividade e disponibilidade dos medicamentos específicos para o tratamento da tuberculose, os períodos de internação passam a diminuir significativamente. Vários serviços são criados no hospital nos anos seguintes para dar suporte aos pacientes, tais como o Ambulatório de Egressos do HSP (1989), que introduzia três importantes modificações em relação às unidades convencionais: equipe multidisciplinar, atendimento individual e grupal e tratamento com supervisão semanal, o que resultou num aumento da taxa de cura; serviços de psiquiatria e de recreação; grupos operativos e grupos de alcoolistas e unidade de internação para os alcoolistas, que passaram a ser trabalhados mais intensivamente por equipe multidisciplinar.

Esses serviços permanecem em funcionamento até hoje, sofrendo modificações necessárias para atender a novos problemas, como o aumento do uso de drogas e de número de casos de Aids e do vírus da hepatite C.
A Aids passou a fazer parte da história do Hospital Sanatório Partenon em 1983, quando nesta instituição foi diagnosticado o primeiro caso da doença no Estado. Desde então, o HSP dedica-se também ao tratamento da doença.

Alguns serviços foram criados no Sanatório Partenon para a prevenção da doença e atendimento aos portadores do vírus e dos doentes de Aids: Ambulatório e Hospital-Dia para adultos, gestantes e crianças, farmácia para antiretrovirais, funcionando desde 1997 no prédio original do antigo Hospital de Isolamento, e Centro de Testagem e Aconselhamento-CTA - Caio Fernando Abreu, funcionando, desde 2000, no antigo prédio do Laboratório do HSP.

O Hospital Sanatório Partenon, através de sua Direção de Ensino e Pesquisa/Serviço de Documentação e Memória vem desenvolvendo, além de pesquisa histórica voltada ao resgate da memória institucional, atividades de educação em saúde que buscam divulgar esses conteúdos.

O resgate da memória institucional ocorre através de pesquisa bibliográfica, tendo como fontes documentos escritos e imagéticos da própria instituição, de acervos particulares e públicos e através de registro de história oral, a partir de depoimentos de antigos funcionários e pacientes. Com essas fontes, foi possível organizar um acervo institucional.
Missão
Servir como referência estadual em ações e serviços de promoção e recuperação da saúde, com ênfase em tuberculose, HIV/AIDS, hepatite e doenças associadas, em âmbito ambulatorial e hospitalar; desenvolver ações de ensino e pesquisa, contribuindo com as políticas da Secretaria Estadual de Saúde e do Sistema Único de Saúde. 



Divisão de Ensino e Pesquisa
Telefone: 3901.1355

Coordenadora: Laura Olinto Dossena

 Ambulatório para atendimento de tuberculose

Atende pacientes oriundos dos bairros Partenon, Agronomia e Lomba do Pinheiro nos casos de 1ª e 2ª linha de tratamento, sendo referência estadual no atendimento de Tuberculose multidrogarresistente

Centro de aplicação e monitorização de medicamentos injetáveis - CAMMI

 A grande demanda de pedidos de interferon peguilado pra o tratamento de portadores de hepatite C, aliado ao alto custo do medicamento, motivou a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul a criar um centro de aplicação deste medicamento e acompanhamento dos usuários. Em 17 de setembro de 2003, no Hospital Sanatório Partenon, foi inaugurado o Centro de Aplicação e Monitoramento de Medicamentos Injetáveis - CAMMI, tendo como objetivo o acompanhamento/monitoramento do tratamento (caracterizando um serviço de Atenção Farmacêutica) a fim de promover melhoria da atenção em saúde aos portadores de hepatite C. O medicamento é ministrado uma vez por semana, levando em consideração o peso corporal, baseando-se nos critérios estabelecidos pela Política Nacional de Medicamentos, destacando-se o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Hepatite Viral Crônica C que dá ênfase ao uso racional dos medicamentos.


Centro de referência de imunobiológicos especiais - CRIE

Telefone: (51)39011400 / (51)39011401 / (51) 33368802

O Ministério da Saúde, a partir de 1993, através do Programa Nacional de Imunizações, implantou os CENTROS DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS (CRIEs). O CRIE do Rio Grande do Sul, foi criado em 1996, sediado e administrado no Hospital Sanatório Partenon, com investimento na aquisição de imunobiológicos de moderna tecnologia e alto custo.
Tem por objetivo proteger pessoas que, por qualquer circunstância, sejam especialmente vulneráveis às infecções e precisem de proteção adicional. Estas pessoas podem ser agrupadas em três principais categorias:
- Profilaxia em pré-exposição a agentes infecciosos de determinados grupos de risco.
- Substituição de produtos disponíveis normalmente, quando não podem ser utilizados devido a hipersensibilidade ou eventos adversos graves em usos anteriores.
- Imunização de indivíduos com imunodeficiências.
As vacinas são disponibilizadas de forma gratuita e com base nos princípios da universalidade, eqüidade e integralidade, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida.

IMUNOBIOLÓGICIOS ESPECIAIS DISPONÍVEIS

Vacina inativada contra a pólio (SALK)
Indicação:
- Crianças com imunodeficiência (congênita ou adquirida), não vacinadas contra a poliomielite.
- Crianças que estejam em contato domiciliar com pessoas imunodeficientes e suscetíveis, não vacinadas contra a poliomielite.
- Transplantados de medula óssea.

Vacina Contra Pneumococo (23 sorotipos de pneumococos)
Indicação:
- Crianças maiores de 2 anos e adultos com doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes melito em uso de insulina, cirrose hepática, fiístula liquórica.
- Crianças maiores de 2 anos e adultos com asplenia anatômica ou funcional, esplenectomia eletiva, hemoglobinopatias, transplante de medula óssea, imunodeficiência congênita ou adquirida, inclusive HIV+ (sintomáticos ou assintomáticos).

Vacina contra pneumococo conjugada(7 sorotipos de pneumococos)
Indicação:
Crianças a partir de 2 meses até 23 meses de idade, imunocompetentes, com doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes melito, cirrose hepática, fístula liquórica, asplenia congênita ou adquirida, hemoglobinopatias, imunodeficiência congênita ou adquirida, inclusive HIV+ (assintomático ou com AIDS).

Vacina contra Haemophilus influenzae tipo B
Indicação:
- Crianças meiores de 5 anos e menores de 18 anos, com aspleniaanatômica ou funcional, asplectomia eletiva, hemoglobinopatias, com imunodeficiência congênita ou adquirida, inclusive HIV+ (assintomático ou com AIDS).
- Transplante de medula óssea de qualquer idade.
No caso de esplenectomia eletiva, a vacina deve ser aplicada pelo menos duas semanas antes da cirurgia.

Vacina contra a hepatite B
Indicação:
- Comunicantes domiciliares de portador de HBsAg ou de doentes com hepatite B crônica.
- Pessoas HIV+, imunocomprometidos, portadores do vírus da hepatite C, transplantados, usuários de hemodiálise, politransfundidos , hemofílicos, talassêmicos, portadores de neoplasias, doadores regulares de sangue.

Imunoglobulina humana antitetânica (IGAT)
Indicação:
- Pessoas que tiveram teste de sensibilidade ao SAT positivo.
- Pessoas que já tenham tido reação de hipersensibilidade após haver recebido qualquer soro heterólogo.
- Imunodeficiência congênita ou adquirida, inclusive HIV+ (assintomático ou com AIDS).

Imunoglobulina humana antivaricela-zoster (IGNVZ)
Indicação:
Comunicantes no caso de varicela suscetíveis, pertencentes aos seguintes grupos:
- Crianças e adultos imunocomprometidos.
- Gestantes.
- RNs de mães nas quais a varicela surgiu nos últimos cinco dias de gestação ou nos primeiros dias após o parto.
- RNs prematuros, com mais de 28 semanas de gestação, cuja mãe não teve varicela.
- RNs prematuros, com menos de 28 semanas de gestação ou co menos de 1.000g ao nascimento, independente de história materna de varicela.

Imunoglobulina humana anti-hepatite B (IGHAHB)
Indicação:
- Recém-nascidos de mãe HbsAg+
- Recém-nascidos de mães simultaneamente HbsAg+ e HIV+.
- Pessoas não vacinadas nas seguintes situações:
1. Exposição sangüinea acidental, percutânea ou de mucosa, quando o caso índice for AbsAg+ ou de alto risco;
2. Comunicantes sexuais do caso agudo de hepatite B;
3. Vítimas de abuso sexual.

Imunoglobulina humana anti-rábica
Indicação:
- Pessoas cujo teste ao soro anti-rábico seja positivo.
- Pessoas que já tenham tido reação de hipersensibilidade após haverem recebido qualquer soro heterólogo.

DTP acelular
Indicação:
Eventos adversos graves após a aplicação da vacina tetravalente de células inteiras, nos casos de episódio hipotônico hipocorrosivo, convulsão febril ou afebril.

Vacina Contra Influenza
Indicação:
- Pessoas com menos de 60 anos de idade, portadoras de doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes melito em uso de insulina, cirrose hepática, hemoglobinopatias.
- Imunodeficiência congênita ou adquirida, inclusive pessoas infectadas pelo HIV (assintomáticas ou com AIDS).
- Profissionais de saúde e familiares que estejam em contato com os pacientes mencionados anteriormente.
- Pacientes submetidos a transplantes.

Vacina contra hepatite A
Indicação:
- Pessoas com hepatopatia crônica, suscetíveis a hepatite ª
- Receptores de transplantes alogênicos ou autólogos, após transplante de medula óssea.
- Candidatos a receber transplantes autólogos de medula óssea, antes da coleta, e doadores de transplante alogênico de medula óssea.
- Doenças que indicam esplenectomia.

Vacina contra a varicela
Indicação:
- Imunocomprometidos, nas indicações de literatura: leucemia linfocítica aguda e tumores sólidos em remissão (pelo menos 12 meses), desde que apresentem 1.200 linfócitos/mm3, sem radioterapia. Caso estejam em quimioterapia, suspendê-la sete dias antes e sete dias depois da vacinação.
- Profissionais de saúde, pessoas e familiares suscetíveis à doença e imunocompetentes que estejam em convívio domiciliar ou hospitalar com imunocomprometidos.
- Pessoas suscetíveis à doença que serão submetidas a transplantes de órgãos sólidos, pelo menos três semanas antes do ato cirúrgico.
- Pessoas suscetíveis à doença e imunocompetentes, no momento da internação em enfermaria onde haja caso de varicela.
- Vacinação antes da quimioterapia, em protocolos de pesquisa.

Vacina meningocócica conjugada grupo C
Indicação: A vacina é indicada a partir de 2 meses de idade, nos portadores de asplenia congênita ou adquirida, deficiências de complemento, anemia falciforme , talassemia ou esplenectomizados.

DT
Indicação:  Dupla infantil. Para menores de 7 anos em eventos graves após aplicação da vacina Tetravalente, em casos de falta da DTP acelular.

Febre Tifóide
Indicação: Pessoas que viajam para áreas endêmicas.

Centro de referência municipal para acidentes com material biológico

Plantão 24 horas para atendimento às pessoas que sofrem acidentes ou lesões com risco de transmissão de HIV e Hepatites.


Laboratório de anatomia patológica

Na data de sua fundação, funcionava no Centro de Saúde 2 (Modelo) passando a fazer parte do Hospital Sanatório Partenon, em 2000, após a municipalização em Porto Alegre.
Com a inclusão social, determinada pelo SUS, a partir dos anos 90, o Laboratório de Citopatologia ampliou seu atendimento para as demandas das políticas públicas da Secretaria da Saúde: Seção da Saúde da Mulher com prevenção de câncer de colo do útero e da Dermatologia Sanitária, prestando também serviços diagnósticos como referência a todo interior do Estado. Supre a inexistência de um serviço de Verificação de óbito para diagnóstico de mortes não violentas que ocorrem sem acompanhamento médico. Conforme a política Nacional de Prevenção do Câncer do Colo do Útero, o Laboratório assume o controle de qualidade da prestação dos serviços na área de citopatologia.


Serviço de atenção terapêutica - SAT

Considerando os avanços científicos e tecnológicos que levaram à cronificação da infecção pelo HIV, o Hospital Sanatório Partenon com suas características de efetivo compromisso com a saúde da população, implantou em 1997, o Hospital-Dia para pacientes com AIDS, que foi expandido, logo após, para um complexo sistema de atendimento ambulatorial às pessoas atingidas pela epidemia de AIDS.
A equipe é composta por profissionais de renome internacional, com grande experiência no manejo de pacientes com HIV e AIDS e que prestam consultoria em diversas áreas, ao Ministério da Saúde. O investimento na qualificação dos serviços e no atendimento aos pacientes é uma constante em toda a equipe que busca cotidianamente, formas de aprimorar as parcerias estabelecidas, além de buscar novas alternativas de enfrentamento da epidemia.
É referência para treinamento e capacitação de profissionais do Estado, e com a recente implantação do CICT - Centro Internacional de Capacitação e Treinamento, em convênio com o Ministério da Saúde, também se tornou referência para treinamento de profissionais de outros países.
O SAT desenvolve pesquisa com enfoque em avaliação sócio-comportamental, seguimento de pacientes soronegativos e soropositivos, em convênio com o Ministério da Saúde e CEARGS.

Com o objetivo de prestar um atendimento integral e de qualidade aos pacientes com HIV e AIDS, o SAT compreende:
- O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Caio Fernando Abreu porta de entrada para o diagnóstico e abertura de prontuário;
- O Serviço de Assistência Especializada (SAE) ambulatório dedicado no acompanhamento e tratamento de pacientes com HIV e AIDS;
- O Hospital-dia (forma intermediária de atendimento entre modalidades hospitalar e ambulatorial), para adultos e crianças;
- O SICLOM (Sistema de Controle Logístico de Medicamentos) - farmácia especializada na dispensação de antiretrovirais (ARV), medicamentos especiais e preservativos;
- Núcleo de Pesquisas em HIV e AIDS.

O Serviço de Atenção terapêutica possui uma equipe multidisciplinar e oferece os seguintes serviços e oportunidades:
- Diagnóstico da infecção pelo HIV com aconselhamento coletivo pré-teste e aconselhamento individual pós-teste (CTA);
- Diagnóstico de Hepatites B e C (a ser implantado a partir de Setembro de 2006) (CTA);
- Grupo de mulheres portadoras do HIV e de estimulo ao uso de preservativos femininos (CTA);
- Consultas individuais relativas à infecção pelo HIV e AIDS para adultos e crianças;
- Consultas em especialidades para indivíduos acompanhados em nosso serviço (ginecologia e obstetrícia, dermatologia, neurologia);
- Suporte de Assistência Social;
- Consultas na área de Psicologia (em grupo e individuais), Nutrição e Odontologia;
- Suporte de Fisioterapia e Terapia Ocupacional;
- Grupos para gestantes portadoras do HIV;
- Grupos de adesão ao tratamento (início e manutenção);
- Consultas individuais de enfermagem para adesão à terapêutica;
- Treinamentos em áreas de prevenção e assistência (incluindo adesão à terapêutica) e consultorias externas;
- Preceptoria de residentes da Residência Integrada em Saúde;
- Atendimento de pacientes em nível de Hospital-Dia com aplicação de medicações intravenosas e hemoterapia;
- Aplicação de Pentamidina aerossol como prevenção primária ou secundária de Pneumocistose;
- Dispensação de medicamentos antiretrovirais (SICLON), medicamentos para infecções oportunísticas e medicamentos para o controle de efeitos-adversos dos antiretrovirais
- Referência em genotipagem para HIV (autorização e interpretação de exames);
- Referência para procedimentos de tratamento de lipodistrofias secundárias ao uso de antiretrovirais - em fase de implantação;
- Centro de treinamento e recondicionamento físico para portadores do HIV atendidos em nosso serviço e em uso de antiretrovirais (prioritariamente dirigido aqueles com lipodistrofia severa e dislipidemias importantes) - em fase de implantação;
- Campo de estágio curricular em diferentes áreas (nutrição, psicologia, enfermagem, assistência social, ...)
- Desenvolvimento de protocolos de pesquisa em parceria com diversas instituições como a UFRGS, UCS, FEEPS/LACEN, FEEPS/CDCT.
O Laboratório de Citopatologia foi criado em 1975, a fim de atender a demanda de exames citopatológicos (exame de Papanicolau) para a rede básica, na prevenção do câncer de colo uterino e anatomia patológica (biópsias) da Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul, que atendia a população indigente.

Centro de testagem e aconselhamento - CTA Caio Fernando Abreu


Av. Bento Gonçalves, 3722 - Bairro Partenon - Porto Alegre
Telefones: 3336.1883 3901.1328
e-mail: cta-hsp@saude.rs.gov.br

Coordenadora:

O CTA é o local onde se realizam os testes de HIV, pelo SUS. Os dados dos usuários são confidenciais.
Neste Centro, são realizados aconselhamentos individuais e coletivos.
Desde 1994 a estratégia deste serviço serve de modelo para a implantação e/ou implementação de novos, sendo de referência na Coordenação Nacional de DST/AIDS do Ministério da Saúde, bem como no Estado, junto a Coordenação Estadual de DST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde.
As capacitações acontecem tanto em serviço, como também os profissionais do CTA se deslocam dentro ou fora do Estado para participarem de diversas atividades junto a outros serviços de saúde ou ensino.
Nas questões voltadas para o aconselhamento, o grupo de trabalho do CTA presta consultoria, quando necessário, no município, no Estado e fora dele.

Funcionamento:
- Aconselhamento Coletivo (palestras): terças e quintas-feiras às 8h30min; segundas, quartas e sextas-feiras às 14 horas.
- Aconselhamento individual: segundas e sextas-feiras com agendamento prévio. O atendimento no dia agendado será por ordem de chegada.
- Fora do horário de pré-teste, as pessoas deverão ser orientadas a agendar seu aconselhamento individual pelos fones: 3336.1883 ou 3901.1328, ou ainda no próprio CTA.
- Pessoas que já possuem o teste anti-HIV, podem, se desejarem, iniciar seus tratamentos no ambulatório.

INÍCIO OU TRANSFERÊNCIA DE TRATAMENTO
Agendar aconselhamento individual para inserção do usuário no Serviço (resgate de exames e registros em outros locais de atendimento).

SITUAÇÕES EMERGENCIAIS
Serão atendidas no mesmo dia:
- Pessoas com saúde debilitada;
- Pessoas vindas de outros municípios;
- Gestantes (fora do horário do pré-teste);
- Acidente de Trabalho e/ou comunitários.

GRUPOS REALIZADOS PELO CTA
- Grupo de Gestantes HIV+ : Grupo de sala de espera, para pessoas cadastradas no SAT - segundas-feiras às 8 horas.
- Grupo de Mulheres: Todas as segundas terças-feiras do mês, às 14 horas. O foco do trabalho é o uso do preservativo feminino. O grupo é aberto para participação da população feminina em geral.

Disque AIDS
Av Bento Gonçalves, 3722
Ligação gratuita: 0800 54 10 197
e-mail:
disque-aids@saude.rs.gov.br

É um serviço de utilidade pública, oferecido pela Secretaria da Saúde do Estado, que busca o esclarecimento de dúvidas, orientar sobre práticas de sexo seguro, realização de teste anti-HIV e demais informações sobre HIV/AIDS.

O Disque-AIDS funciona de segunda a sexta-feira, de manhã das 8h às 12:30h e a tarde das 13:00h às 17h. O atendimento é feito por profissionais e estudantes (sob supervisão) da área da saúde. Telefone e e-mail disponíveis, para todo o estado do RS.

Principais atividades:

♦ Orientação sobre HIV/aids (prevenção, formas de contágio...)
♦ Indicação de locais para realização de teste anti-HIV, atendimento e tratamento de pessoas portadoras de HIV/aids.
♦ Indicação de instituições governamentais e de ONGs do estado que apóiam e atuam na defesa dos direitos dos portadores de HIV/aids.

Serviço de Saúde do Trabalhador
São destinados a complementar o atendimento integral ao paciente.
Serviço de Enfermagem
O Serviço de Saúde do Trabalhador tem o objetivo de garantir a promoção, a prevenção, a proteção e a recuperação da saúde biopsicossocial e espiritual do trabalhador do Hospital Sanatório Partenon.

Serviço técnicos complemantares no tratamento da TB e AIDS
A equipe de enfermagem, no Hospital Sanatório Partenon, atua nas Unidades de Internação (UTI, Feminina e masculina), nos Ambulatórios (CRIE, Ambulatório TB, Hospital-Dia, Interferon), no Ensino e Pesquisa e C.C.I.H, tendo como finalidade:
- Prestar assistência de enfermagem aos pacientes do complexo HSP, dentro dos níveis de preveñção, promoção e recuperação de saúde;
- Colaborar com o programa de Residência de Enfermagem em Pneumologia Sanitária do HSP, na elaboração do mesmo, oferecendo campo de estágio;
- Colaborar com o programa de Residência de Enfermagem em Saúde Comunitária do Murialdo, oferecendo campo de estágio a nível de atenção primária e secundária.

Serviço de Fisioterapia


O Serviço de Fisioterapia do HSP tem por missão "Relacionar os aspectos cinético-funcionais na promoção, tratamento e recuperação da saúde da população atendida no HSP: desenvolver a pesquisa na área de fisioterapia, e formar recursos humanos para atuação no SUS."

Demonstrando grande importância da Fisioterapia no tratamento dos pacientes com tuberculose, o Serviço teve início em 1996 e a partir de 1997 se fortaleceu na instituição com a contratação de profissionais selecionados pelo concurso público estadual. Em 2003, passou a participar da Residência Integrada em Saúde da Escola de Saúde Pública, ênfase em Pneumologia Sanitária.
O Serviço de Fisioterapia presta atendimento aos pacientes do Ambulatório de TB, aos internados no HSP e aos pacientes do Serviço de Atenção Terapêutica (ambulatório e hospital-dia) e da Reabilitação Pulmonar.

TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO:
No Ambulatório de Tuberculose, o tratamento fisioterapêutico se somará ao atendimento multidisciplinar, visando prevenir e detectar os casos de TB precocemente para que seus efeitos, especialmente na função pulmonar, sejam mínimos, evitando seqüelas.
Em casos de internação hospitalar, ao ser definido o diagnóstico de TB, após avaliação físico- funcional dos pacientes, são identificados os objetivos iniciais do tratamento e definidas as condutas fisioterápicas que serão adotadas. Com atendimentos diários, conforme a evolução dos pacientes são revistas as condutas terapêuticas. Estas evoluções são registradas periodicamente, por meio de coleta de dados em ficha específica.
O tratamento fisioterapêutico, na maioria dos casos, têm início visando remover as secreções brônquicas diminuindo a resistência ao fluxo aéreo, facilitando o movimento do diafragma e, simultaneamente a ele, se inicia o processo de cicatrização e fibrose do local. Nesta situação são utilizados procedimentos para a reexpansão pulmonar, reequilíbrio para ação dos músculos respiratórios visando evitar a instalação da deformidade torácica.
Para o indivíduo portador de TB que vai progressivamente perdendo sua condição muscular e aeróbica e acaba apresentando dispnéia em atividades que exigem cada vez menos esforço, é indicado um trabalho de condicionamento físico logo que o paciente apresente condições gerais para tal.
Os casos de meningite tuberculosa são mais incomuns, mas também nessas situações a atuação da fisioterapia é fundamental para a recuperação e/ou reintegração destes pacientes recebendo assim, atendimento específico conforme alteração funcional identificada.
Todos os atendimentos são registrados em prontuário, havendo um controle diário e mensal dos serviços prestados.

Serviço de Odontologia

O Serviço de Odontologia atende pacientes de alto risco com tuberculosee HIV positivos que estejam internados no Hospital Sanatório Partenon, e pacientes que estejam em tratamento no Serviço de Atenção terapûtica.

TRATAMENTOS EXECUTADOS:
- Instrução de higiene oral (palestras);
- Dentística restauradora;
- Exodontia;
- Periodontia;
- Pequenas cirurgias.

Serviço de Psicologia

O Serviço de Psicologia chegou ao Hospital Sanatório Partenon, em agosto de 1997 a fim de desenvolver um trabalho com os funcionários, atendendo uma solicitação da Direção. Hoje, o Serviço de Psicologia tem por finalidade:
- Prestar assistência psicológica aos pacientes do complexo HSP dentro dos níveis de prevenção, promoção e recuperação da saúde;
- Colaborar com o programa de Residência de Psicologia em Pneumologia Sanitária do HSP na elaboração do mesmo, oferecendo campo de estágio;
- Oferecer à população um atendimento especializado de orientação, prevenção e tratamento ambulatorial para doenças sexualmente transmissíveis e AIDS, através dos Setores do SAT (Serviço de Atenção Terapêutica), HD (Hospital Dia), SAE (Serviço de Assistência Especializada), CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) e SICLON.


AIDS


O HSP é referência para treinamento e capacitação de profissionais do Estado de outrpaíses. Desenvolve pesquisa com enfoque em avaliação sócio-comportamental, seguimento de pacientes soronegativos e soropositivos, em convênio com o Ministério da Saúde e CEARGS
TUBERCULOSE 
O HSP desenvolve o Programa de Pneumologia Sanitária da SES, em Tuberculose, sendo referência em ações e serviços de promoção e recuperação da saúde.